Forgot Login?   Criar conta  

01NF2015 - Exploração da PORDATA em contexto educativo

Inicia a 09 Janeiro 2015

Bilhetes disponiveis:

4 x 01NF2015 (Grátis)

01NF2015 - Exploração da PORDATA em contexto educativo

 

  1. ­DESIGNAÇÃO DA ACÇÃO DE FORMAÇÃO   

 

Exploração da PORDATA em contexto educativo.

  1. RAZÕES JUSTIFICATIVAS DA ACÇÃO: PROBLEMA/NECESSIDADE DE FORMAÇÃO IDENTIFICADO

É num contexto de excesso de informação e simultaneamente produção de informação pouco credível - essencialmente a oriunda da internet - que hoje em dia se enquadra o mundo do ensino.

O volume de informação ganhou tal dimensão que actualmente a problemática se coloca no método (de que modo e com o auxilio a que ferramentas) através do qual, docentes e alunos,  se tornam capazes de encontrar, seleccionar e interpretar a informação pertinente.

É nesse contexto que a “PORDATA – Base de dados de Portugal Contemporâneo” surge.

Esta tem como principal função reunir num mesmo portal informação de diferentes fontes oficiais (mais de 60) sobre a realidade portuguesa. Propõe-se a faze-lo sustentada numa estrutura simples, através do qual o cidadão português - nomeadamente os intervenientes no ensino -  possa aceder a informação relativa às últimas cinco décadas. Informação relacionada com temas como a população, a economia, o ambiente, a saúde, a educação, o emprego, entre tantas outras temáticas da nossa sociedade.

Este portal permite ainda completar a informação de Portugal com o acesso a dados para cada um dos  municípios e, simultaneamente dados sobre os restantes países da União Europeia.

É pelas características acima descritas que este portal tem vindo a ganhar um lugar cada vez mais preponderante no sector do ensino. Principalmente em áreas como: geografia, sociologia, economia, educação para a cidadania, história e ciências da comunicação.

Destaca-se como ferramenta primordial de acesso a informação, onde a procura de um enorme conjunto de dados está facilitada, disponível gratuitamente e onde a credibilidade da informação está assegurada.

Esta tem encontrado espaço como ferramenta de preparação de aulas, como uma fonte de pesquisa para a qual os professores podem encaminhar os seus alunos com total confiança e ainda como complemento aos dados apresentados nos manuais escolares.

A presente formação surge então com o intuito de i) familiarizar os docentes com a PORDATA, ii) garantir que a utilização da base de dados é feita de modo a tirar o maior partido das potencialidades do portal, iii) promover e discutir a melhor forma de incluir o acesso a esta informação no seio das salas de aula, iv) aprofundar os conhecimentos necessários para a interpretação da informação disponível.

Pretende-se que os professores adquiram competências na utilização da Pordata – Base de Dados Portugal Contemporâneo, de modo a poderem explorar com os seus alunos, no âmbito do trabalho curricular, as potencialidades pedagógicas desta base para a construção do conhecimento, a aquisição de literacias e o desenvolvimento de capacidades reflexivas e críticas.

  1. DESTINATÁRIOS

Professores do 2º e 3º ciclo do Ensino Básico e Secundário. Prioridade a Professores Bibliotecários.

  1.  EFEITOS A PRODUZIR: MUDANÇA DE PRÁTICAS, PROCEDIMENTOS OU MATERIAIS DIDÁCTICOS
  1. Utilização da PORDATA na preparação de aulas, e respectivos materiais de avaliação;
  2. Utilização complementar da PORDATA e do manual escolar dentro e fora da sala de aula;
  3. Familiarização dos alunos com uma ferramenta acesso a informação credível e permanentemente actualizada;
  4. Utilização de materiais audiovisuais e interactivos relacionados com a PORDATA para completar conhecimento das matérias curriculares;
  5. Promoção, nos alunos e pares, da leitura e interpretação de dados estatísticos respeitantes a sociedade portuguesa.
  1. CONTEÚDOS DA ACÇÃO

(Práticas Pedagógicas e Didácticas em exclusivo, quando a acção de formação decorre na modalidade de Estágio ou Oficina de Formação)

A Oficina de formação terá um total de 30 horas, das quais 15h serão presenciais (sessões conjuntas) e 15h serão de trabalho autónomo. Estas horas serão distribuídas pelos seguintes conteúdos:

15 Horas presenciais:

           I -        Familiarização com a base de dados PORDATA (3 horas);

  1. estrutura,
  2. conteúdos,
  3. consulta avançada e exportação de dados,
  4. análise e elaboração de gráficos e mapas
  5. ferramentas complementares à base de dados (vídeos; e-books; outros portais),

          II -        Promoção da interpretação de informação estatística (1 horas);

  1. Que conclusões se podem tirar a partir da leitura de dados,
  2. Que perigos estão associados à leitura de informação estatística;

         III -  Identificação dos conteúdos curriculares (dos docentes presentes) para os quais a PORDATA tem um papel relevante (2 horas);

        IV -        Selecção dos materiais (aulas, fichas, testes) a adaptar (1 hora);

         V -  Apresentação dos materiais elaborados e reflexão sobre as suas potencialidades e fragilidades (4 horas);

        VI -        Apresentação dos resultados obtidos em sala de aula (3horas);

       VII -  Sistematização do processo de criação de um material didáctico com apoio da PORDATA (1hora).

15 Horas de trabalho autónomo:

      VIII -     -Adaptação / criação de pelos menos dois materiais didácticos suportados pela PORDATA (8 horas);

        IX -         Aplicação dos materiais didácticos em ambiente de sala de aula (7 horas):

  1.  Implementação dos materiais;
  2.  feedback de alunos;
  3.  auto-avaliação.

>> Cronograma:

 

1ª sessão presencial

1º bloco de trabalho autónomo

2ª sessão presencial

2º bloco de trabalho autónomo

3ª sessão presencial

conteúdos

I; II; III

VII

IV

VIII

V; VI.

           
           
           
           

 

  1. METODOLOGIAS DE REALIZAÇÃO DA ACÇÃO

Durante as sessões presenciais realizar-se-á um primeiro momento teórico-prático onde se leccionarão os conteúdos previstos em I. Durante entre momento os formandos irão acompanhar e experimentar o uso da base de dados através do seu próprio computador.

As restantes horas presenciais serão realizadas com recurso a um plenário onde cada um identificará os materiais que irá adaptar, os apresentará e discutirá as apresentações realizadas pelos seus pares. A última fase contará com um exercício conjunto de sistematização e identificação do processo de enriquecimento de materiais didácticos através da informação disponível na base de dados PORDATA.

Durante o regime de trabalho autónomo os formandos desenvolverão materiais didácticos e implementarão nas suas escolas as actividades desenhadas e discutidas nas sessões.

 

Vantagens da prossecução da acção na vertente de Oficina:

 

üAprendizagem teórico-prática e experimental;

üCriação de materiais didácticos com aplicação prática para o ano lectivo em vigor;

üReflexão sobre práticas metodológicas desenvolvidas e a desenvolver.

üCooperação e partilha de informação.

  1. REGIME DE AVALIAÇÃO DOS FORMANDOS

A avaliação da actividade desenvolvida por cada formando será realizada de modo continuado pelos formadores e tem como referência os objectivos e finalidades do curso. São tomados em consideração os seguintes aspectos:

üObrigatoriedade de frequência de 2/3 das horas presenciais;

üRelatório final individual. Elaboração dos trabalhos práticos e reflexões efectuadas durante as sessões presenciais. – A qual estará sujeita a critérios previamente estabelecidos, classificados na escala de 1 a 10, com a competente menção qualitativa e  em conformidade com os critérios de avaliação vigentes no Centro de Formação.

üCreditação final de acordo com o regulamento da modalidade.

Assiduidade -10%

Trabalho Presencial - 40%
Trabalho Não Presencial - 35%
Reflexão crítica / Relatório - 15%

ü 

  1. FORMA DE AVALIAÇÃO DA ACÇÃO

A avaliação da  oficina terá três partes envolvidas:

üOs formandos através da resposta a um inquérito elaborado pela entidade formadora (a ser preenchido na última sessão presencial);

üO formador através dum relatório de actividades;

üO centro de formação através a elaboração de um relatório global de avaliação com base nos instrumentos avaliativos utilizados por formandos e formador.

 

   Calendarização

 

  • ·1ª sessão: 9 de Janeiro, 6ª f, 17h30-20h30
  • ·2ª sessão: 16 de Janeiro, 6ª f, 17h30-20h30
  • ·3ª sessão: 23 de Janeiro, 6ª f, 17h30-20h30
  • ·4ª sessão: 30 de Janeiro, 6ª f, 17h30-20h30
  • ·5ª sessão: 13 de Fevereiro, 6ª f, 17h30-20h30

Notícias

Destaque

Recentes

Mais Vistos

­