53NF2011 - O Desenvolvimento Curricular em Artes - Metodologias, Práticas e Estratégias de Mediação Pedagógica

De 28 Outubro 2010 16:00 às 28 Outubro 2010 19:00
Visualizações: 411

Número da Acção

 

53NF2011

 

Registo de acreditação

CCPFC/ACC-67248/11 - Oficina de Formação

 

Duração e Créditos

Horas Presenciais: 25 horas

Horas de Trabalho Autónomo: 25 Horas

Total de Créditos: 2 Créditos

Formadores responsáveis

ELISA MARIA DE BARROS MARQUES

 

Destinatários

 

Destinatários de acordo com o artigo 5º, do Regime Jurídico da Formação Continua de Professores: Professores dos Grupos 100 e 110

 

Destinatários de acordo com nº3 do artigo 14º, do Regime Jurídico da Formação Contínua de Professores: Professores dos Grupos 100 e 110

Nº de Formandos:

Mínimo: 10 - Máximo: 20

 

Critérios de selecção

Docentes em exercício de funções no Agrupamento de Escolas Josefa D´Obidos

 

 

Conteúdos

 

Pressupostos teóricos

- O conceito de Arte ao longo dos tempos.

- O papel da Arte na formação das pessoas

- O Sistema Educativo e as Artes: Períodos e características

- Os conceitos de fantasia, imaginação e criatividade: pressupostos e mitos

                                                      

Componente Artes Plásticas

 

- O conceito de retrato e auto - retrato

- A impulsividade do traço e a mancha livre

- A cor enquanto forma

- O arabesco e o sentido das proporções

- O apuramento da forma - Encadeamento

- O volume e o espaço

- A metáfora e metamorfose

- A cor - Cromatismo heráldico, tonal, local e tímbrico

 

Componente Música

 

- Técnicas de interpretação musical (vocal e corporal).

- Técnicas básicas de ensaio e direcção coral.

- Modos de exploração de materiais sonoros e musicais com estilos, géneros, formas e tecnologias diferenciadas.

- Exploração de códigos e formas diferenciadas de representação gráfica dos sons.

- Audição, análise e descrição de obras musicais utilizando terminologia e vocabulário adequado.

- Conceitos e estruturas que enformam e organizam as obras musicais.

- Relações entre a música, as outras artes e áreas de conhecimento: semelhanças e diferenças técnicas, estéticas e expressivas.

 

Componente Dança

 

- Vocabulário Motor Específico da Dança:

- Movimentos básicos locomotores - Deslocamentos quedas e outras Acções/Gestos.

- Movimentos básicos não locomotores – realização de acções/gestos com ausência de locomoção.

- Posições estáticas (estátua) e equilíbrios.

- Elementos técnicos da Dança

- “Componentes” Fundamentais da Dança:

- O Corpo, o Espaço, o Tempo, a Dinâmica e as Relações.

- Técnicas de Construção Coreográfica: (desenvolvimento da criatividade)

- Exploração do movimento (busca/procura).

- Improvisação do movimento, de frases e sequências de movimento (invenção, concepção).

- Composição de sequências lógicas de movimentos (construção, produção, combinação).

- Dança enquanto Forma de Arte:

- Análise, Compreensão e Apreciação da Dança através da observação e discussão de materiais coreográficos.

 

Componente Expressão Dramática/Teatro

 

- Criação e comunicação: Voz, Movimento, Coordenação

 

Interpretação/ representação -

- Multiplicidade de jogos de improviso dramático (espontâneo ou orientado) enfatizando contrastes e intenções opostas.

- Capacidade de escuta e de resposta.

- Relação do próprio no espaço de representação e com os outros elementos, “actores”, objectos e audiência.

 

- Espaço de representação

- Explicitação dos diferentes espaços cénicos:

- Convencionais

- Não convencionais

- Cenário

- Narrativa :

- Construção de histórias faladas ( breves frases ou sons)

- Construção de diálogos

- Construção de cenas.

- Escrita criativa.

- Diferentes finalizações para uma história

- Improvisação de monólogo

Razões

O Ministério da Educação está a levar a efeito o «Programa de Educação Estética e Artística» em contexto da Educação Pré - Escolar e do 1º Ciclo do Ensino Básico. Este programa pretende suprir uma lacuna na formação de educadores de Infância e dos Professores do 1º Ciclo do Ensino Básico nas áreas de Expressão Plástica; Dança, Música e Expressão Dramática / Teatro. O problema e as necessidades de formação destes profissionais centram-se, principalmente, nas abordagens metodológicas que são levadas a efeito; uma vez que muitas vezes estas áreas são consideradas como auxiliares das outras áreas do Currículo ilustrando temas e festividades. O que este programa pretende é dotar os profissionais de educação com meios que os possibilitem desenvolver estas áreas com as crianças, através da aprendizagem das linguagens específicas de cada uma delas, possibilitando posteriormente a transversalidade de saberes.

De acordo com este pressuposto são esta formação oficina de formação tem os seguintes objectivos:

- Reflectir sobre as Metas de Aprendizagem da Educação Artística, possibilitando aos docentes a apreensão dos códigos específicos de cada área.

- Desenvolver metodologias e estratégias de formação para as diferentes áreas identificadas.

Efeitos

O Programa do Ministério da Educação é desenvolvido em três anos, gradualmente, para produzir mudanças efectivas nas práticas dos docentes. Terminado este prazo, os professores ficam autónomos para desenvolver estratégias e práticas na área da Educação Artística.

Deste modo, para além da formação em contexto de trabalho, serão realizadas:

- Reuniões de acampamento e de partilha de experiências

- Visitas a espaços culturais

- Produção de materiais didácticos

- Produção de instrumentos de avaliação

- Contributos para a melhoria das metas de aprendizagem da Educação Artística

- Melhoria das fichas de avaliação dos alunos nas áreas da Educação Artística

- Encontros Nacionais de docentes

 

Ao nível educativo as mudanças que se pretendem atingir são:

- Abordagem sistemática da prática destas áreas em contexto escolar

- A Arte vista como uma área do conhecimento tal como as outras apresentadas no Currículo

- A articulação efectiva entre a escola e as Instituições Culturais

- A aprendizagem dos conceitos das diferentes áreas

- A arte vista de acordo com três dimensões interdependentes: fruição - contemplação: interpretação - reflexão e experimentação - criação.

- Experienciar conceitos de cada área e escolha dos temas pelas crianças

Avaliação dos formandos

Avaliação na escala de 1 a 10 de acordo com o ECD e com as cartas circulares 3/2007 e 1/2008 do CCPFC e com os seguintes critérios:

Assiduidade -10%

Motivação e participação- 30%

Produção de trabalhos e/ou materiais - 40 %

Reflexão crítica ou Prova de Conhecimentos -20%

Calendarização/

Horário

 

 

Local de realização

 

Agrupamento de Escolas Josefa D´Obidos

 

 

Formandos Inscritos

­